sábado, 15 de setembro de 2012

Its like a dream coming true!

 O Museu Itinerário de cera Dreamland está em Curitiba e eu fui lá pra antecipar a emoção que vai ser quando eu for pra LDN no Madame Tussaud.
Fiquei um tanto desapontate com a qualidade das estatuas, parecia uma boneca barbie com figurino de famosos e não réplicas.
 Harry Potter com cara do Jake do Two and a Half Man.


 Mas dá pra ver pelo meu sorriso que eu amei o lugar.

 E o Sir Paul McCartney que era a mais fiel das estatuas estava numa vitrine do lado de fora do museu. Ainda não tenho uma foto com um Beatle. :(
Erick não consegue tirar os olhos do Paulzinho

terça-feira, 11 de setembro de 2012

11 de setembro

Foi em 2001 que minha infância morreu.
O ano todo foi bem difícil: divórcio dos meus pais, dificuldade de adaptação à nova escola e aos novos colegas, convivência difícil com a minha avó mas principalmente o onze de setembro.
 Lembro de no começo da aula uma professora apavorada entrar na sala falando sobre bombas, explosões e fim do mundo pra uma turma de crianças entre 9 e 10 anos. O pânico dela, a falta de preparo pra lidar com situações como aquela (afinal quem é que tava preparado praquilo?), tudo. TUDO. 
 Em casa minha mãe tentava fazer com que a gente não pensasse naquilo, no que tinha acontecido. Mal conseguíamos compreender o que era que tinha passado, no jornal mostrava dois prédios altíssimos que eu nunca tinha ouvido falar caindo. Eu só conseguia pensar que eu nunca, nunquinha nunquinha iria para os Estados Unidos, lá era perigoso e aviões batiam em prédios. 
 Tive muito medo de uma grande guerra, de armas biológicas e químicas e de outros possíveis atentados que eu até então nem sabia o que era. 
 Foi um ano depois, numa reportagem do jornal matinal em que mostrava imagens do que aquilo se tratava, que eu, já com a inocência morta, compreendi o que era aquilo. Não entendi as razões que causaram o atentado nem a guerra ao terror. Mas entendi que desde então o mundo estava abalado e com medo.

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Há um ano atrás...

 Foi em meados de junho do ano passado que eu me dei conta de como a minha vida ia mudar e que nada mais do que eu planejei sairia exatamente daquele jeito. Mas foi apenas em setembro que eu dei conta que tudo poderia ser muito melhor.
 Há exatos um ano eu comecei a trabalhar de temporária em uma livraria (realizando um sonho e com 30% de desconto nas sessões de literatura e papelaria s2) pra poder começar a montar o enxoval, comprar os primeiros brinquedos e os primeiros livros. No fim de setembro eu descobri que era um menino e no começo de outubro decidimos o nome.
 Hoje o Erick tá completando sete meses mas pra mim hoje ele completa um ano em minha vida. Um ano desde que eu passei a querê-lo bem.
video
~♥~